2.9.05

Fafá de Belém.Pauapixuna

Uma leira, uma esteira Uma beira de rio Um cavalo no pasto Uma égua no cio Um princípio de noite Um caminho vazio Uma leira, uma esteira Uma beira de rio Uma cantiga de amor se mexendo Uma tapuia no porto a cantar Um pedacinho de lua nascendo Um cheiro bom de peixada no ar Um não sei que de saudade doendo Uma saudade sem tempo ou lugar Uma saudade querendo, querendo... Querendo ir e querendo ficar Uma leira, uma esteira... E o vento espalhado na capoeira A lua na cuia do bamburral A vaca mugindo lá na porteira E o macho fungando cá no curral O tempo tem tempo de tempo ser O tempo tem tempo de tempo dar Ao tempo da noite que vai correr O tempo do dia que vai chegar Hubo un tiempo en que tenía tiempo de escuchar una y otra vez
esta canción que resuena en una parte de mí profunda, solitaria y silvestre.
La voz de esta tía es maravillosa, y la música bellísima. Si no la habéis oído, os la recomiendo.

Protected by Copyscape Duplicate Content Software© 2004-2010